Prefeitura Municipal de Paraibuna - SP
Onde Comer ?
Onde Ficar ?
Entretenimento
Paraibuna, 22 de Julho de 2017
Newsletter
Nome:
E-mail:
História

A história de Paraibuna inicia-se em 13 de junho de 1666, quando um grupo de homens, vindos de Taubaté, seguiam pelo Rio Paraíba e resolveram parar próximos à junção dos Rios Paraibuna e Paraitinga para descansar. 

Ali, ergueram uma capela em honra ao santo do dia, Santo Antônio – e em ação de graças pela boa viagem que fizeram – e alguns homens se fixaram, dando início a uma povoação.

A fama do local correu atraindo mais pessoas – muitas com o ideal patriótico de povoar novas terras – e tornou-se um ponto estratégico para o pouso de tropeiros e viajantes que iam para o litoral.

Em 07 de dezembro de 1812, Paraibuna é elevada à categoria de Distrito de Paz, em 10 de julho de 1832, à Vila de Santo Antônio de Paraibuna, e finalmente, em 30 de abril de 1857, à cidade.

No princípio, sua economia estava voltada, sobretudo, para a agricultura de subsistência. Mas, esta situação começa a mudar com o surgimento de alguns engenhos de cana-de-açúcar e principalmente, com a introdução da lavoura cafeeira.

Paraibuna viveu o seu auge neste período. Sob forte influência do ciclo do café (1830 – 1870), o município se desenvolveu. A área rural se expandiu, diversas e grandes fazendas foram construídas, assim como, casarões no centro da cidade, que chamam a atenção pela beleza e tamanho.

Em 1835, Paraibuna já registrava cerca de 34 fazendas cafeeiras e 87 sítios de culturas diversas.

Com o declínio do café, diversas fazendas passaram por dificuldades. Foi então, que o cultivo do algodão foi introduzido, como uma alternativa de renda.

Paraibuna viveu um período de crise, declínio financeiro e pouca evolução (1890 – 1920).

A situação começou a mudar com a implantação do Porto de São Sebastião e a construção da estrada ligando São José dos Campos ao Litoral Norte, e passando por Paraibuna.

A economia voltou-se para a pecuária leiteira – sobretudo, por causa das diversas famílias mineiras que se mudaram para o município. A produção de leite se torna forte, chegando por volta de 1960, aos 50 mil litros por dia.

Mas, a construção da represa de Paraibuna e Paraitinga, neste mesmo ano traria grandes mudanças para o município. Boa parte das terras baixas, as várzeas, foram alagadas, prejudicando de maneira significativa a produção de diversos produtos, inclusive, o leite.

Sem muitas perspectivas de crescimento, uma parcela considerável da população rural deixa o campo em busca de trabalho e melhores condições de vida. Muitos encontram emprego na construção civil, diversos deles, na própria obra da represa – no auge da construção, a obra chegou a empregar cerca de 5 mil pessoas.

O êxodo rural torna-se fato que se comprova pelo número de habitantes na zona rural, que em 1950 era de 15.112 e cai em 1960 para 13.031.

Na década seguinte, as obras da represa são concluídas gerando um problema maior ainda. Pois, o que fariam os milhares de homens que perderam seus empregos com o fim da construção? 

Muitos retornaram ao campo e buscaram uma alternativa na agricultura. A lavoura de feijão foi a principal, tornando Paraibuna, em 1980, como a maior produtora no Vale do Paraíba.

O tomate e o milho também foram outras opções de investimento.

Na pecuária, os produtores preferiram apostar no gado de corte, que necessita de menos mão-de-obra e aplicação financeira.

Houve um aumento das atividades terciárias – prestação de serviços. O ramo imobiliário teve um grande crescimento, como afirma Celenrozi Santos, em sua dissertação: “os produtores que não se adaptaram aos novos usos do solo, viram no setor imobiliário uma nova forma de recursos, muitos dividiram suas propriedades em chácaras que foram vendidas a outros que viam no ambiente tranqüilo do município uma forma de obter o sossego que não encontram nos grandes centros urbanos”.

As atividades turísticas ganham impulso e passam a ser a grande aposta de desenvolvimento.

Cenário este, que pouco mudou até hoje. A economia atual baseia-se na agropecuária, no beneficiamento de seus produtos, no artesanato e no turismo. 

 



Fone:(12) 3974-2080
Prefeitura Municipal de Paraibuna
Rua Humaitá, 20 - Centro - Paraibuna - SP - CEP 12260-000

Nº de acessos