Paraibuna conquista excelente desempenho em Índice Educacional Nacional e fica à frente de grandes cidades da RMVale

Uma reportagem publicada pelo Jornal O Vale (edição de 30/12/2019), assinada pelo jornalista Xandu Alves, destacou as cidades da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte (RMVPLN), que avançaram na nota do IOEB (Índice de Oportunidades da Educação Brasileira) deste ano na comparação com a pesquisa anterior, de 2017.

O IOEB mede o acesso e a qualidade da educação infantil ao ensino médio e é feito a cada dois anos desde 2015. Em 2019, o órgão avaliou 36 das 39 cidades da nossa região. Monteiro Lobato, Canas e Arapeí não tiveram pontuação neste ano. Dos municípios da RMVale pesquisados, 31 deles (79%), tiveram um desempenho melhor acima da média nacional, cuja nota foi de 4.7, em 2019, ano em que a educação paraibunense se destacou com a nota 5, maior do que as obtidas em 2015 (4.7) e 2017 (4.8), conquistando um crescimento gradativo.

O município de Paraibuna tem motivos para comemorar este resultado, pois mesmo com um orçamento pequeno conseguiu ficar à frente de cidades da região mais ricas e com melhores condições financeiras, caso por exemplo de Jacareí (4.9), Taubaté (4.9), Caçapava (4.8), e Cruzeiro (4.7), no IOEB referente a 2019.

     Segundo a diretora do Departamento de Educação, Cultura, Esportes e Lazer do Município, Maria Benedita de Souza Rodrigues Santos (Mariazinha), esses resultados positivos são frutos de um trabalho conjunto com todos os profissionais da área da Educação. “Diversos fatores contribuem para isto, um deles – em especial – é o avanço significativo que tivemos no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica); outro ponto positivo é a formação dos gestores escolares, fortalecendo esses profissionais para que eles possam acompanhar melhor o trabalho dos professores e orientá-los; temos um corpo docente extremamente qualificado (mais de 90% é pós-graduado), isto também faz toda a diferença na qualidade do ensino dos nossos alunos”, afirma.

Ainda de acordo com Mariazinha, “O município tem uma evasão escolar baixa, desde à idade escolar até o fundamental I, que é quase zero; o índice de repetência vem diminuindo bastante nos últimos anos, tornando-se outro fator positivo. É importante destacar também o fato de termos conseguido manter os gestores nos últimos anos sem haver a troca desses profissionais, isto é um ponto fundamental porque os históricos de sucessos são diretores que ficam um bom tempo no cargo, assim como os coordenadores pedagógicos, tornando os trabalhos educacionais mais integrados e efetivos”, conclui.

Sobre o IOEB

O índice foi criado em 2015 por Reynaldo Fernandes e Fabiana de Felício, respectivamente ex-presidente e ex-diretora de estudos educacionais do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

O indicador é divulgado pela Comunidade Educativa Cedac e considera não apenas o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que é o resultado divulgado a cada dois anos pelo governo federal. Também leva em consideração outras variáveis, como a oferta de vagas em creche e pré-escola, a formação de professores, a experiência dos diretores de escola e ainda a quantidade de crianças e adolescentes que não estão matriculados na escola.